IRN_logo
LogoMJ


Avaliação Nacional de Risco


Avaliação Nacional de Riscos de Branqueamento de Capitais e de Financiamento do Terrorismo

A revisão das Recomendações do Grupo de Ação Financeira (GAFI), em fevereiro de 2012, determinou uma alteração fundamental na perspetiva da luta contra o Branqueamento de Capitais e o Financiamento de Terrorismo, consagrando uma abordagem baseada no risco.
Estas Recomendações, que viriam a ser refletidas na Diretiva (UE) 2015/849, de 20 de maio de 2015, conduziram à decisão de realizar a primeira avaliação nacional dos riscos de branqueamento de capitais e de financiamento do terrorismo (ANR), com o objetivo de colocar Portugal em inteira conformidade com os novos padrões internacionais e europeus de luta contra este tipo de criminalidade grave, mas também, e sobretudo, para dotar o país - e as suas autoridades de supervisão do sistema financeiro e de fiscalização das atividades e profissões não  financeiras designadas - de um instrumento essencial para, mais eficazmente, utilizar os escassos recursos disponíveis e para aplicar medidas preventivas proporcionais à natureza desses riscos.
Essa tarefa, abrangendo todos os setores de atividade em que já existem obrigações de prevenção de Branqueamento de Capital e Financiamento do Terrorismo, e levada a cabo por um grupo de trabalho criado na sequência do Despacho n.º 9125/2013, de 1 de julho, do Ministro de Estado e das Finanças, resultou num relatório, cuja síntese com as principais conclusões foi publicada na página do Governo, em 25/11/2011.
Procede-se, agora, à sua divulgação.



A síntese da ANR pode também ser encontrada na página Web do Governo


Pode, ainda, consultar a seguinte informação relevante em matéria de Prevenção do Branqueamento de Capitais e do Financiamento ao Terrorismo:





Última Modificação: 31/10/2016 04:02

linhaRegistos
SIR
ELRA
Justicamaisproxima

Os conteúdos deste site, publicados a partir de 1 de janeiro de 2012, cumprem as regras do Acordo Ortográfico.

Símbolo de Acessibilidade na Web