IRN_logo
LogoMJ


Alterações ao Regulamento da Nacionalidade Portuguesa entraram em vigor




Entraram em vigor no dia 3 de julho as alterações ao Regulamento da Nacionalidade introduzindo melhorias no processo de atribuição da nacionalidade e tornando-o mais justo e célere para o requerente.
 
As alterações clarificam o que são os «laços de ligação efetiva à comunidade nacional», requisito que desde 2015 se encontra previsto na Lei da Nacionalidade para a atribuição da nacionalidade portuguesa a netos de portugueses residentes no estrangeiro.
 
O diploma também simplifica o processo de atribuição da nacionalidade, nomeadamente no que respeita à prova do conhecimento da língua, presumindo-se que os cidadãos de países onde o português é língua oficial há pelo menos 10 anos e que residam em Portugal há 5 anos, conhecem a língua portuguesa, dispensando-os da prova de conhecimento da língua portuguesa.
 
Simplifica-se ainda a exigência de certificado de registo criminal para os casos em que o requerente não tenha vivido no país de que é nacional ou natural após os 16 anos, e comprove a residência noutro(s) país(es) após essa idade, deixando de ter de apresentar os certificados do registo criminal desses países.
 
O decreto-lei n.º 71/2017 prevê ainda os termos em que a Conservatória dos Registos Centrais obtém informação «sobre a existência de perigo ou ameaça para a segurança ou a defesa nacional, ou o envolvimento em atividades relacionadas com a prática do terrorismo, nos termos da respetiva lei».


Última Modificação: 04/07/2017 11:54

LinhaRegistos
Agendamento Online
SIR
Certificado Sucessorio Europeu
LeiRoc
Justicamaisproxima

Os conteúdos deste site, publicados a partir de 1 de janeiro de 2012, cumprem as regras do Acordo Ortográfico.

Símbolo de Acessibilidade na Web